A PARÁBOLA DO SEMEADOR

(Mt 13;8-23)

O semeador saiu a semear.

A) O semeador saiu: Deus chama homens e mulheres para si, tornando-os seus cooperadores. Deus é autossuficiente. Portanto, pode realizar seus planos sem o nosso auxílio. Todavia, concede-nos a honra de sermos agentes de sua graça. Deus chama a gente, trabalha no coração da gente, depois usa a gente para chamar mais gente.

B)O semeador saiu: semeadores conscientes de sua identidade não se deixam seduzir pela apatia. Por certo, não se trata aqui de ativismo exacerbado, mas do compromisso inquebrantável com a missão de Deus no mundo. Insurja-se contra aquilo que pode paralisá-lo, imobilizá-lo. Em outros termos, torná-lo infrutífero. Viver é plantar.

C) Saiu a semear: moveu-se imbuído do desejo de lançar sementes à terra. Saiu confiante na colheita. É necessário que creiamos que nossos esforços não serão em vão. Trabalhemos crendo que Deus proverá resultados. Lancemos a semente e visualizemos o fruto! A colheita virá.

D) Nesta poderosa parábola, Jesus ensinou que algumas sementes lançadas à terra caem em terrenos inférteis. Sendo assim, nem tudo o que plantamos floresce. Eu e você sabemos disso. Ao longo da vida, não são raros os momentos de desânimo causados por colheitas frustradas. Entretanto, o nosso Senhor também ressaltou que outras sementes germinam e produzem ótimos frutos.

E) Então, plante e cuide de cada semente com determinação e esperança, ciente de que haverá colheita. Lembre-se de que “ nenhuma semente e pequena demais para se multiplicar se você estiver disposto a plantá-la”. Deus é especialista em usar coisas pequenas para revelar seu poder.

F) Além de tudo isso, caminhe espalhando boas sementes, convicto de que “um gesto amistoso a quem vive em agonia, um sorriso acolhedor a quem está só, um raio de pequena alegria num coração sobrecarregado não são coisas grandes”. Mas podem salvar uma vida.

E aí, vamos semear?

Aloísio Bacelar